Twitteravaliação

Padrão

Ontem, durante as apresentações dos alunos do 1º semestre da FIT, valendo as notas do 2º Bim, fizemos uma experiência (eu e os alunos). Enquanto os grupos se revezavam nas apresentações, os demais acompanhavam, via Twitter, os comentários do professor. Tinham a oportunidade de clicar nos links das apresentações e comentar também os trabalhos dos colegas. Para mim, além de propiciar uma experiência interativa com a turma num momento que normalmente seria de baixa interação, foi legal ver os comentários dos colegas acerca dos trabalhos. Sem contar, também, que foi uma experiência divertida.

Creio que, finalmente, tenha encontrado uma boa utilidade para o Twitter.

Gostaria de saber da turma: que acharam?

Ao vivo na WEB

Padrão

No último semestre de 2008, propus uma espécie de desafio a alguns alunos. Eles haviam chegado tarde para a apresentação de um trabalho e já estavamos com o horário estourado. A princípio, eles tomariam bomba na apresentação e pronto. Mas propus-lhes um desafio: eles deveriam agendar uma apresentação online com a sala e realizar. Assim seriam avaliados. Mesmo que a audiência fosse baixa, seria interessante vê-los resolvendo esse problema. O resultado? Muito ruim. Eles gravaram um vídeo, tentaram subir no youtube e não conseguiram em função do tamanho. Foram avaliados sem a nota de apresentação e a história terminou por aí.

Nessa semana, porém, descobri uma ferramenta que os teria auxiliado, é o Justin.tv. O site, uma espécie de Youtube ao vivo, transmite o conteúdo da webcam do usuário para milhões (quiçá bilhões) de usuários ao redor do globo. A principal diferença em relação ao maior site de vídeos do mundo é a possibilidade de exibição online. Dessa forma, uma palestra online pode ser feita com interação e questões dos usuários. Ou uma reportagem exibida on-line por um grupo de estudantes. É praticamente um canal de televisão, com a diferença que cada usuário pode ter o seu próprio canal e transmitir o próprio conteúdo. A solução não é complexa, sequer é nova, mas acredito ainda haver grande potencial em função da possibilidade de interação.

Para quem precisar da ferramenta um dia, fica a dica


Após criar o post, fui procurar outras opções com serviços semelhantes e encontrei o Mogulus

Livros online

Padrão

Uma boa dica para quem não quer gastar uma bela grana com livros é Biblioteca Virtual, uma parceria entre a Pearson e a Artmed. No site, é possível “alugar” um livro virtual por 10, 15 ou 20 horas (dependendo do tamanho do livro) e lê-lo online. O sistema do site permite que sejam impressas páginas (até 50% do livro) a preço de fotocópia e, inclusive, fazer anotações nas páginas (virtualmente, é lógico).

Barato e rápido, vale um teste.

Ligado

Padrão

Enviei a alguns de vocês um convite para integrarem minha rede de contatos no LinkedIn. Estou realmente impressionado com as possibilidades que a ferramenta traz e gostaria de deixar uma sugestão: procurem o grupo da sua faculdade. Se não existir ainda, crie e convide os colegas! (Se quiser, use este espaço para divulgar o link dos grupos recém criados).

Do meu lado, criei um grupo para discussões sobre Estratégia. Em breve, criarei grupos para discussão de nossos temas de aula, como uma estratégia de aprendizado alternativa. O que acham? Vale o teste?

Ensino a Distância

Padrão

Apesar de não ser um entusiasta do EaD puro, me agrada a idéia de realizar trabalhos com os alunos via internet. As possibilidades de ensino também são interessantes. De certa forma, um profissional sério hoje em dia e que busque atualização constante, acaba praticando o EaD, ainda que informalmente. “Pesquisar” na internet sobre um tema e aprender sobre ele não deixa de ser uma espécie de aprendizado à distância, ainda que informal. Eu mesmo já fiz cursos on-line, com avaliação e tudo mais. Mas, na maioria dos casos, acabo pesquisando sozinho. Anyway, estimulo a prática assistida.

Segue abaixo alguns links interessantes, extraídos do site da ABRAEAD (onde, aliás, existe um diretório de links de onde tirei alguns):

FrancoClick: site montado em parceria entre o governo brasileiro e a embaixada francesa para ensino da língua. Ainda sobre idiomas, o portal About contempla diversas línguas. Indico as aulas de italiano. Outro que me agrada é o Mango Languages, com 100 aulas disponíveis em diversas línguas (até português-br para estrangeiros).

O Open Consortium é uma iniciativa de diversas universidades ao redor do globo, disponibilizando material e cursos. O MIT, americano, também disponibiliza seus materiais de aula na net, assim como a Unicamp, aqui no Brasil.

E para o post não ficar muito chato, há uma iniciativa que aposta no uso de jogos para a educação, o Gamecultura. Isso eu gosto!