🇺🇸 My favorite TED Talk

Vídeo

As a child, I dreamed of being an astronaut, a rock star, a firefighter. I also dreamed of being an engineer (even though I did not know they were called engineers at that time) to create a flying car that would fly based on magnetism (should I have followed that way?) And, umm, an archaeologist. It made no sense to study archeology in Brazil at that time – since there was only one program in the Northeast of the country, far from home – but I was passionate about the history of early civilizations. I still am, actually. But archeology would not lead me to make money, since the only way to work in this area in Brazil would be to become a teacher. And I definitely did not want this for my life.

Ah, life, you’re a joker… 😂

Continue lendo

Meu primeiro Live Story – Como será o futuro?

Padrão

No início de outubro/17, fiz minha primeira Live Story no Instagram, discutindo sobre como deve ser o futuro em diversas áreas.

Quer assistir?

(o áudio está um pouco falho em alguns momentos por conta da própria tecnologia do Instagram, mas da pra entender as ideias 😁)

Preparados? 

Padrão

Por que digo a mais alunos que eles precisam ler mais: postei, entre ontem e hoje, duas matérias aparentemente desconexas. Aparentemente…

A notícia de ontem, diz respeito à robotização, já presente e cada vez mais comum. A de hoje, fala das novas escolas infantis. 

E o que isso tem a ver? O que a robotização tema ver com as novas escolas? TUDO!

Educação hoje para um mundo de amanhã?

Uma criança que entre na escola hoje, estará no mercado de trabalho e entre os anos 2032 e 2097, aproximadamente (se o Temer não aumentar mais ainda o tempo de contribuição para aposentadoria, rs). Alguns verão a virada de século ainda trabalhando! E o que isso significa? TUDO! Significa que essas crianças de hoje serão profissionais numa época em que a robótica estará tão presente que carros serão autônomos, bancos (financeiros) serão virtuais, assim como o dinheiro. Viagens de longa distância serão rápidas como um trajeto a pé, via Hyperloop ou equivalentes. A energia, renovável, baseada em fusão nuclear, será baratíssima. Celulares serão relíquias esquecidas nos sótãos. Estudar línguas será apenas por prazer (quem se lembra do babel fish?). Uma era onde alimentos sintéticos acabarão com a fome no mundo (gostemos ou não  deles). Ah, os “empregos” (que, na verdade, serão trabalhos), demandarão menos horas (sim, trabalharemos algo como “das 10-16, com tempo de almoço”).

E quais serão as habilidades necessárias nesse novo mundo? Em que medida as escolas de hoje (ou do século XV, dá na mesma) estão preparando essas crianças para esse Mundo Novo meio Black Mirror?

Não tenho respostas, mas sei que meus filhos lerão Aldous Huxley, Isaac Asimov, Ray Bradbury, George Orwell, Philip Dick, Douglas Adams, Arthur Clarke, HG Wells e Julio Verne. 

Ao menos, saberão o que esperar.

#futuro #inovação #educação